Preguiças

AS ESPÉCIES DE PREGUIÇAS

Os Xenarthra são mamíferos placentários que surgiram na América do Sul no período do Plioceno, entre 65 a 80 milhões de anos atrás. São representados pelas espécies de tamanduás, tatus e preguiças atuais, totalizando 24 espécies viventes.

Nos últimos anos, a biodiversidade brasileira tem sofrido muito com os impactos causados pelo ser humano. A intervenção e destruição dos habitats naturais são, sem dúvida, a principal ameaça, causando reduções e até mesmo extinção de espécies. Os biomas brasileiros estão sendo destruídos e ocupados por sistemas de agricultura, pecuária e expansões urbanas. Além disso, a contaminação da água e do solo por agrotóxicos, lixo e poluição, queimadas, caça e tráfico, introdução de espécies exóticas e domésticas, disseminação de doenças, aumento da malha rodoviária e as mudanças climáticas tem totais ações sobre a biodiversidade, atingindo diretamente o funcionamento dos ecossistemas.

Preguiça de coleira – Bradypus torquatus

As preguiças, principalmente do gênero Bradypus, são conhecidas pelos seus movimentos lentos. A preguiça de coleira, em particular, pode passar mais de metade do dia em repouso (Chiarello, 1998). Um indivíduo, mencionado por Chiarello (2008), apresentou um período de atividade de somente 7% de horas diárias.

Preguiça do norte – Bradypus tridactylus

As preguiças emitem uma espécie de assobio demorado, principalmente quando se sentem em perigo. Por esse motivo são denominadas por ai-ai em Tupi e aó-aó em Guarani (mais informações em Gilmore et al., 2008).

Preguiça de garganta marrom– Bradypus variegatus

A pelagem da preguiça de garganta marrom, assim como a de outras preguiças do género Bradypus, é o habitat ideal de inúmeras algas, ectoparasitas e invertebrados, incluindo traças e escaravelhos com os quais estabelece relações simbióticas (revisto por Hayssen, 2010).

Preguiça de dois dedos – Choloepus didactylus

As preguiças podem se manter em copas de árvores a mais de 30m do solo e somente descer uma vez por semana para defecar.

Preguiça real – Choloepus hoffmanni

As preguiças de dois dedos são os únicos exemplares vivos de uma família com mais de 30 milhões de anos e cerca de 30 gêneros que se extinguiram no passado.

COMPARTILHAR: