Tamanduás

AS ESPÉCIES DE TAMANDUÁS

Os Xenarthra são mamíferos placentários que surgiram na América do Sul no período do Plioceno, entre 65 a 80 milhões de anos atrás. São representados pelas espécies de tamanduás, tatus e preguiças atuais, totalizando 24 espécies viventes.

Nos últimos anos, a biodiversidade brasileira tem sofrido muito com os impactos causados pelo ser humano. A intervenção e destruição dos habitats naturais são, sem dúvida, a principal ameaça, causando reduções e até mesmo extinção de espécies. Os biomas brasileiros estão sendo destruídos e ocupados por sistemas de agricultura, pecuária e expansões urbanas. Além disso, a contaminação da água e do solo por agrotóxicos, lixo e poluição, queimadas, caça e tráfico, introdução de espécies exóticas e domésticas, disseminação de doenças, aumento da malha rodoviária e as mudanças climáticas tem totais ações sobre a biodiversidade, atingindo diretamente o funcionamento dos ecossistemas.

Tamanduaí – Cyclopes sp.

Com um comprimento corporal de cerca de 35 cm e uma cauda de 20 cm, o tamanduaí é o menor dos tamanduás, pesando não mais que 400 gramas um indivíduo adulto (Eisenberg & Redford, 1999). Possuem dois dígitos em cada membro anterior, providos de fortes garras curvas, que além de funcionarem como uma ferramenta alimentar, permitindo a abertura de formigueiros, auxiliam na locomoção do animal pelo estrato arbóreo e servem como instrumento de defesa. A coloração de sua pelagem varia conforme sua distribuição geográfica, de dourado até um cinza prateado com uma faixa dorsal de coloração amarronzada (Wetzel, 1985).

Tamanduá-bandeira – Myrmecophaga tridactyla

O tamanduá-bandeira é um mamífero que mede cerca de 2 metros e pode pesar ao redor de 40 kg (Wetzel,1985; Eisenberg, 1989; Drumond, 1994). A pelagem é densa, e de coloração cinza escuro a negra (Vieira, 1949). Os membros anteriores apresentam pêlos brancos, que se estendem numa faixa diagonal, ao longo da lateral do corpo, envolvendo uma faixa de pêlos pretos (Shaw & Carter, 1980). A cauda é longa e espessa. Possui quatro dedos em cada membro anterior, sendo que o segundo e o terceiro apresentam garras fortes.

Tamanduá-mirim – Tamandua tetradactyla

O tamanduá-mirim mede entre 55 e 62 cm, com uma cauda de 40 a 67 cm e pesa em torno de 7 kg (Wetzel, 1985). Sua pelagem varia de acordo com a distribuição geográfica, sendo dourado ou de uma coloração ocre no noroeste de sua distribuição, dourado com um colete preto (completo ou parcial) no sudeste e pelagem negra ou marrom escura em algumas localidades (Superina, 2012). Possui uma cauda preênsil, com a extremidade desprovida de pelos.

COMPARTILHAR: