Missão

CONSERVAR E PRESERVAR

O Instituto de Pesquisa e Conservação de Tamanduás no Brasil foi fundado em 2006, com o objetivo de atuar diretamente na conservação e preservação de tamanduás, tatus e preguiças e seus habitats respectivos, desenvolvendo estudos, pesquisas, programas e projetos nas áreas de meio ambiente, educação, saúde, ecoturismo, políticas públicas, sociedade e cultura, promovendo o desenvolvimento sustentável e a proteção do meio ambiente e sua biodiversidade como um todo.

Foto: João Marcos Rosa

É uma Organização Não Governamental sem fins lucrativos, cuja missão é desenvolver ações de pesquisa, educação e fomento a políticas públicas, visando a conservação de tamanduás, tatus e preguiças em vida livre e cativeiro.

Sua equipe multidisciplinar, junto a experiências em projetos de conservação e parcerias com instituições com o mundo todo, contribui para o comprometimento, integridade e qualidade do seu trabalho em prol da conservação.

O Instituto já realizou projetos de conservação nos biomas Pantanal (Norte e Sul), Amazônica, Cerrado e Mata Atlântica, e vem desenvolvendo trabalhos também em cativeiro. O Instituto coordena as avaliações dos status de ameaça mundial de Xenarthra junto à IUCN e no Brasil junto ao Governo Brasileiro – Ministério do Meio Ambiente.

É também responsável pelo PAN do Tatu-bola junto ao ICMBio e MMA. Ainda, realiza consultas em instituições da América do Sul, em países como Argentina, Colômbia, Peru e Suriname. O instituto também possui cadeira no Conselho Consultivo da APA Delta do Parnaíba e no Conselho Deliberativo da RESEX Marinha Delta do Parnaíba.

COMPARTILHAR:

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
INSTAGRAM