Silvestre atropelado?
Veja o que fazer!

Cerca de 1.300.000 animais silvestres são atropelados todos os dias só no Brasil, totalizando 475 milhões a cada ano. Um prejuízo enorme para a biodiversidade. Infelizmente, com o impacto, muitos não sobrevivem. Por outro lado, outros resistem e precisam da nossa ajuda. 

 

É sobre esses casos que viemos falar, afinal, você sabe mesmo o que fazer ao ver um animal silvestre atropelado na rodovia? Continue acompanhando e fique por dentro do assunto – saber como agir nessas situações é fundamental!

Foto: Vinicius Gasparotto

Avistei um animal

Foto: Vinicius Gasparotto

Ao se deparar com um animal na rodovia ou infelizmente, você mesmo tenha colidido com o animal, com muito cuidado, verifique se ele está vivo. Independente do tamanho do animal ou de sua espécie, não encoste nele. Pessoas que não são profissionais capacitados podem se acidentar gravemente. O animal pode voltar do choque ou acordar de um desmaio, e tentar se defender.

Ligue para os profissionais capacitados para o recolhimento

Caso ele esteja vivo, ligue para a polícia ambiental (verifique na internet o telefone da polícia mais próxima) ou corpo de bombeiros (193) ou ainda, pare em algum posto policial na estrada e os avisem sobre o animal. Eles irão recolhê-lo e levá-lo para receber assistência veterinária. Acione também funcionários da concessionária da rodovia se possível.

Foto: Jornal Midiamax

Dependendo da região onde você está, outros profissionais capacitados podem fornecer ajuda. No que diz respeito aos cuidados veterinários, eles normalmente são realizados em Centros de Triagem de Animais Silvestres, mas, caso o Centro mais próximo esteja distante, diversas universidades podem dar assistência, assim como clínicas veterinárias. 

Filhote órfão de tamanduá-bandeira vítima de atropelamento recebendo cuidados veterinários. Foto: Instituto Tamanduá

No Mato Grosso do Sul, temos um grande parceiro, o GRETAP, que realiza o resgate técnico, fornecendo atendimento emergencial para os animais silvestres.

Animal morto? Esse dado também é importante!

Foto: Vinicius Gasparotto

Caso ele tenha ido à óbito, uma forma de contribuir com a conservação da fauna silvestre é tirar uma fotografia com a coordenada geográfica (que você consegue pelo próprio celular ou por meios de aplicativos como o timestamp) e enviá-la para ONGs que trabalham com a conservação das espécies atropeladas e/ou para o IBAMA.

 

Felizmente, hoje temos pesquisadores e instituições que trabalham com a mitigação do atropelamento de fauna no Brasil. Uma luta ainda pequena, mas que está crescendo a cada ano, justamente pelas pessoas perceberem a importância de um trânsito seguro para os animais e para nós.  

Outras formas de apoiar a fauna

Foto: Instituto Tamanduá
  • Dirija com atenção e respeite os limites de velocidade:

Muitas vezes esquecemos que as rodovias atravessam o meio natural, passando pela casa de animais silvestres que precisam transitar por ali.

Dirigir com prudência, além de ser benéfico e necessário para a segurança de todos os outros motoristas e passageiros que dividem a rota com você, também é essencial para a nossa fauna. Os limites de velocidade, inclusive, levam em consideração o trânsito da fauna.

Outro ponto de atenção é o período noturno, quando atropelamentos são ainda mais comuns. À noite, os olhos de alguns animais, em contato com o farol, podem refletir a luz, tornando mais fácil desviar deles. Por outro lado, alguns animais como tamanduás, tatus, veados e antas não refletem a luz: muitas vezes o acidente ocorre porque as pessoas os vêem quando já estão muito próximas deles. O cuidado à noite deve ser redobrado.

 

  • Não provoque incêndios! Isso mesmo!

Uma única bituca de cigarro jogada em uma área seca, já é o suficiente para causar um incêndio em grandes proporções. E muitos animais silvestres são atropelados justamente por fugir de incêndios, quando correm assustados, muitas vezes passando por rodovias. Vários dos órfãos de tamanduás-bandeira que reabilitamos no Pantanal (saiba mais aqui) foram vítimas de atropelamento após fugirem de incêndios.

 

  • Apoie instituições que lutam pela conservação da fauna e aquelas que também buscam alternativas para diminuir o atropelamento de animais silvestres em rodovias. Para ajudar o Instituto Tamanduá, clique aqui.

 

  • Compartilhe esse conteúdo com seus conhecidos e nos ajude a manter mais pessoas informadas!

 

Motoristas bem informados = motoristas cuidadosos com a nossa fauna. Dirija com segurança para as pessoas e para eles!

Novembro 2022
S T Q Q S S D
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

Projetos