Tamanduá-bandeira em São Paulo -

Padrões de Movimento e Uso de Espaço do Tamanduá-bandeira em SP

Na Estação Ecológica de Santa Bárbara, localizada em Santa Bárbara do Oeste, no estado de São Paulo, a equipe apoiou um projeto denominado “Padrões de Movimento e Uso do Espaço do Primeiro Tamanduá-bandeira do Estado de São Paulo”, com o objetivo de analisar o uso de paisagem e ocorrência dentro da Estação e em áreas antropizadas do entorno, entre os anos de 2015 a 2017. A EE de Santa Bárbara possui um mosaico de habitats, com áreas de Cerrado e monocultura de eucalipto e Pinus sp.

A avaliação das áreas e do uso de habitats foi realizada com telemetria via satélite e as análises de dados são focadas nos padrões de movimento, uso do habitat e nas áreas de vida da espécie. Foram monitorados 8 animais por 91 dias consecutivos. De acordo com o uso do habitat destes indivíduos, a conclusão foi que os impactos da ação humana aumentam a vulnerabilidade da espécie, sendo que 30% da população do estado foi perdida nos últimos 10 anos. Se as ameaças persistirem na área, a possibilidade de sobrevivência da espécie é de 20 anos.

Entre as principais ameaças locais está: perda e alteração do seu habitat, atropelamento, caça, queimada, conflitos com animais domésticos e uso de agrotóxicos.

Apoio: Universidade Estadual Paulista de São José do Rio Preto (UNESP) e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP).