Sistemática e Genética de Tamanduaí -

Projeto de Sistemática e Genética de Tamanduaí (Cyclopes didactylus)

O Projeto de Sistemática e Genética de Tamanduaí (Cyclopes didactylus) na América Latina, com início em 2010 e conclusão em 2017, teve como objetivo obter informações sobre a genética e a atual distribuição do tamanduaí, contribuindo para ampliar o conhecimento científico da espécie e subsidiar ações de conservação e manejo.

Foi dado um passo muito importante na pesquisa com a descrição de seis novas espécies de Cyclopes sp.: C. ida, C. catellus, C. dorsalis, C. thomasi, C. rufus e C. xinguensis, abrindo assim mais uma grande lacuna de informações a respeito das espécies de tamanduaís, gerando necessidade de mais estudos a respeito de cada espécie em seus diferentes habitats e biomas.

A espécie Cyclopes didactylus permanece com duas populações disjuntas: a população amazônica, que ocorre desde o norte da Venezuela, abrangendo as Guianas e a ilha de Trinidade até o nordeste da Amazônia, e a população do litoral nordestino brasileiro, que ocorre no litoral dos estados do Maranhão e Piauí e ainda a parte nordeste do Rio Grande do Norte até Alagoas.

Apoio: Universidade Federal do Piauí (UFPI), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Zoológico de Paris (França), Zoológico de Huachipa (Peru), American Museum Natural History
(EUA), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e Ministério do Meio Ambiente (MMA).